Versando Versos

Atualizado: Mar 9

Fui pela noite a fora brincar de ser feliz e não voltar nunca mais …

Entre pileques e cheques trocados eu fui.

Poesias em papeis toalhas.

Olhares e desolhares, fui versando uma noite que não teria fim.

Dei de mim além do copo a mais de cerveja o último beijo de boa noite.

Mais uma vez lá estava eu perdia entre versos.

Sentada sozinha na mesa versei versos que não me lembro mais.

Me arrependi de não ter uma caneta naquele momento.

Só me lembrei que já tinha passado por isso.

Não era uma noite incomum, era rotina.

Mesa de bar, cachaça e dilúvios imaginários.

Lá estava eu perdida mais uma vez, sem papel nem caneta.

Indubitavelmente já levemente alterada pela quantidade de álcool.

Um sorriso quase escancarado e uma certeza impossível.

Versos perdidos, copos e garrafas fazias.

Era assim que me vi pela última vez.

Me perdi virando a esquina.

Até hoje não me achei.

Não sei mais onde fui parar.

Se alguém me achar faz favor de avisar.

Só lembro de soluçar aquela canção …

“One more time 

One more time

One more time

One more time … “

.. Acho que isso era uma prece.


0 visualização

Posts recentes

Ver tudo

Infortúnios

Eu rezei pra morrer. Pera ai! Quem reza pra morrer? Tanta gente rezando pra curar o câncer, pra viver mais um bocadinho, e eu rezando pra morrer. Que porra de vida escrota! E forcei a levantar da ca

Oração à Insonia

Roga-me ó mãe dos desavisados. Rega-me o peito ó mãe celeste. Rogai por nós ó Deus da multidão. Regozija de plena mansidão. Reveste me de insanidade. Rega-me de poesia e o palavrão. Roga junto de mim

Doença

Eu tenho uma doença Essa doença é escrever. Enquanto não escrevo Eu não tenho paz. Não durmo. Não como. Não tenho sossego Enquanto não escrevo. Não há cura E nem remédio Não há solução Senão escreve

face.png
insta.png
ttr.png

Raiva Sacra... Uma Mulher e dois Olhos de Trovão.