. Raiva Contida .

Atualizado: 9 de Mar de 2020

Tudo foi assim de súbito, ela nem pensou. Apenas estática ficou. No meio da tempestade ela estava agora, fortemente reagiu bem a tudo.

Ela se fantasiou mais uma vez sorriu e disse: Tudo bem!

Com tudo foi o que ela fez mais uma vez .. Deixou que ficasse em silêncio ..

Guardou só para si, escondeu de todos o que seus olhos gritam e o coração aquecido como fogo em brasas. Seguiu ela com as criticas. Críticas que pra ela chegavam em seus ouvidos feito bombas, mas tudo bem. Ela aprendeu a fingir, e guardar as lágrimas para mais tarde.

Seguiu adiante, respirou, olhou em volta só para conferir se sua dignidade continuava ali. E estava.

Seguiu mais adiante e sentou-se, dali só saiu quando tocou sua música favorita. E foi dançar. Lá estava ela mais uma vez em pé com todos os pedaços colados com creme de corpo e suor. Uma guerreira.

E se foi pela noite a fora e o resto é história …

0 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Infortúnios

Eu rezei pra morrer. Pera ai! Quem reza pra morrer? Tanta gente rezando pra curar o câncer, pra viver mais um bocadinho, e eu rezando pra morrer. Que porra de vida escrota! E forcei a levantar da ca

Oração à Insonia

Roga-me ó mãe dos desavisados. Rega-me o peito ó mãe celeste. Rogai por nós ó Deus da multidão. Regozija de plena mansidão. Reveste me de insanidade. Rega-me de poesia e o palavrão. Roga junto de mim

Doença

Eu tenho uma doença Essa doença é escrever. Enquanto não escrevo Eu não tenho paz. Não durmo. Não como. Não tenho sossego Enquanto não escrevo. Não há cura E nem remédio Não há solução Senão escreve