O Segredo da Descoberta


Eu era deserto

flor esturricada pelo Sol

Era o pó da terra que o vento empurra alpendre a dentro

Eu era agreste

Seca, sede, fome, morte e vala.


Eu era o bruto desejo de renascer, mas morria.


Eu sou o agora

flor do bendito fruto no ventre

Sou a primavera a espalhar flores e borboletas pelo ar

Eu sou fartura

Mesa posta e barriga cheia.


Eu sou terra seca que insiste em florir.

22 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Fonte

Colo

face.png
insta.png
ttr.png

Raiva Sacra... Uma Mulher e dois Olhos de Trovão.

Todos os direitos reservados. Este site ou qualquer arte, desenho ou texto dele não pode ser reproduzido ou usado de forma alguma sem autorização expressa, por escrito, do autor ou editor, exceto pelo uso de citações breves em uma resenha ou com os devidos créditos. O conteúdo deste site é pessoal, qualquer interesse de uso ou parceria, entrar em contato com a autora pelo e-mail: bi.ortega.f@gmail.com