Assim como Belchior

Atualizado: 28 de Jan de 2020

Me orgulho do meu medo de ET E finjo bem não temer a idade que me alcança Não tenho medo do escuro Mas do bicho papão

Perdi medos de criança Ganhei medos de adulto Medo do boleto que atrasa Da falta de grana Medo de crescer

Medo, medo, medo… MEDO.

“Medo, o meu boi morreu, o que será de mim?”

2 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Fonte

Colo

face.png
insta.png
ttr.png

Raiva Sacra... Uma Mulher e dois Olhos de Trovão.

Todos os direitos reservados. Este site ou qualquer arte, desenho ou texto dele não pode ser reproduzido ou usado de forma alguma sem autorização expressa, por escrito, do autor ou editor, exceto pelo uso de citações breves em uma resenha ou com os devidos créditos. O conteúdo deste site é pessoal, qualquer interesse de uso ou parceria, entrar em contato com a autora pelo e-mail: bi.ortega.f@gmail.com